Busque sua Passagem Aérea

27 julho, 2009

Quem Sou?


Difícil saber quem sou
no espelho descobre-se um ser
escadrinho meu coração
e livre deixo os sentimentos voar
A vida gira num obscuro
Por isso me entusiasmo
nas cores e flores me influencio.
Tudo que é novo se torna atraente.
Conquisto o dia com simpatia
Nesse mundo sou bem pratica
com segurança e auto confiança
para na rotina não caminhar
Me descubro.....
gosto do abraço sem medo
da risada altas e clara s
gosto de desafios conquistar
Não tenho medo de derrotas
Num sorriso sincero
muitos ei de conquistar
me perco mas me acho ....
e descubro que somos o que queremos ser

Autora: Andresa Araujo
imagem: net

8 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Lindo, muito lindo o poema.
Abraços

Vicky disse...

Muy bello poema... , a veces en la vida necesitamos descubrimos para ver el prisma de la realidad

Un fuerte abrazo y besos.

Vicky

Adolfo Payés disse...

Que hermoso tu blog. con tus poemas maravillosos..

te sigo y te enlazo en mi blog de poemas para poder leerte.. con mas frecuencia..

Saludos fraternos
Un abrazo

Princesa disse...

Pensamos que a vida nos vai
dar tempo para sempre
E vamos deixando a
felicidade esperar.
um beijo

Romeu disse...

(Voltaire)


As paixões são como ventanias
que inflam as velas dos navios
fazendo-os navegar,
outras vezes podem fazê-los naufragar,
mas se não fossem as elas,
não haveria viagens,
nem aventuras, nem descobertas

um abraço
Romeu

Paull disse...

Gostei Gostei Beijos Paull

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Andresa! Num sorriso sincero, muitos hei de conquistar. Me perco, mas me acho... E descubro o que queremos ser. Belo poema, muito profundo.

Alberto Montalvão disse: Vença pela psicologia. Quem és? Querer é poder!

Edward Purinton disse: As montanhas suavizam-se a voz do posso e derretem-se a voz do quero.

Dá uma passadinha lá, pois tem uma boa dica de leitura. Não sei se faz o seu gênero.

Beijos,

Furtado.

Daniel Costa disse...

Andresa

Bem conseguido, muito interessante! Apeteceria pedir bis. Fica a sempre a esperança de ver mais. De acompanhar mais vezes porque aprecio, mesmo poesia, pode ser simples mas profunda como a simplicidade.
Daniel